Editor's Rating

embora sua trama não seja particularmente inovadora, dá para amarrar a verdadeira obra de arte do filme: suas sequências de ação.

9

Para quem admira a arte dos dublês e das sequências de ação, este segundo semestre tem sido particularmente bom. Atômica, do diretor — e dublê — David Leitch estrelando Charlize Theron chega aos cinemas essa semana, no dia 31 de Agosto, praticamente um mês depois do excelente Em Ritmo de Fuga.

Atômica é baseado em uma obra em quadrinhos “Atômica: A Cidade Mais Fria”. Um espião do MI6 britânico é assassinado em Berlim as vésperas da queda do muro, e a Lorraine Broughton  de Charlize Theron é convocada para descobrir o que houve com ele e com uma lista de agentes que deveria estar com ele — lista que traria uma revelação importante sobre um agente duplo. A história segue bem próximo da formula de filmes de espião mas embora seu roteiro não seja particularmente inovador na trama, dá uma boa história para amarrar a verdadeira obra de arte do filme: suas sequências de ação.

O filme se sobressai com sua estética “neon” oitentista que casa maravilhosamente bem com o momento histórico a qual a narrativa remete e traz algumas das melhores cenas de ação que temos o prazer de ver na tela. Casando essas sequências com uma trilha sonora composta de músicas dos anos 80 e versões e remixes atuais, o filme consegue se fazer uma obra memorável no seu gênero — algo que seu diretor já tinha mostrado ter talento para fazer ao dirigir John Wick junto com Chad Stahelski.