Editor's Rating

6
NOTA

No capítulo final da saga Maze Runner, que tem como título A Cura Mortal e foi escrito pelo autor James Dashner, os efeitos especiais não foram poupados, as cenas de ação estão eletrizantes e as questões que todos os fãs estavam esperando, serão respondidas. Ao menos os fãs da franquia dos filmes, pois se tratando daqueles que já leram os livros, podem esperar um roteiro adaptado que se assemelhe à produção escrita e digno de conclusão. O filme finalmente irá estrear, após ter tido a produção inicial interrompida por causa de um grave acidente com o protagonista Dylan O’Brien  – que teve alguns ossos da face quebrados após ser atingido por um carro em alta velocidade no set. Nós do Sétima Cabine noticiamos sobre o estado de saúde do ator após o acidente, veja matéria em: (http://setimacabine.com.br/dylan-obrien-nao-corre-risco-de-vida-afirma-o-autor-de-maze-runner/).

Mortal

O longa já começa com uma (das muitas) cenas de ação que deixam você sem fôlego e querendo não piscar, pois é capaz de se o fizer, perder o desfecho. Nesse capítulo final, em alguns momentos, pode-se perceber cenas um tanto quanto informativas (que até podem parecer cansativas, mas são de extrema necessidade) e arrisco dizer que sejam para suprir as lacunas que o filme anterior, Prova de Fogo, deixou na narrativa.

Nessa continuação Thomas (Dylan O’Brien) e seus amigos partem para o resgate dos jovens que estão sendo mantidos como cobaias pela organização C.R.U.E.L (W.I.C.K.E.D, no original) e em especial, o seu amigo Minho (KI Hong Lee). E tentar desvendar uma possível cura para o Fulgor (vírus que se espalhou pela raça humana), bem como a encoberta do grande plano, executado pela organização para racionar a utilização desse soro. O que poderá trazer decorrências catastróficas para a humanidade. Sendo assim, Thomas, acaba descobrindo que tem grande protagonismo nessas pesquisas e entrega-se para o Experimento final.

Mortal

Mortal

Após fazer essas grandes descobertas, o tempo para poder salvar a população infectada e pessoas próximas, se torna escasso e o protagonista juntamente com seus amigos embarcam numa aventura dentro da cidade onde fica a sede de pesquisas da C.R.U.E.L. Com isso eles bolam uma empreitada para invadir as dependências da organização e irão precisar da ajuda de umas das personagens que tem um passado amoroso e um tanto duvidoso no passado, Teresa (interpretado pela atriz Kaya Scodelario).

Percebemos a ambientação de conflitos externos e muitas guerras, que dizem respeito aos descaminhos de se estar portando um vírus letal e terem suas vidas limitadas por essa organização desumana, que não está preocupada em fornecer bem-estar a população geral. Mas sim, à uma elite que eles jugam serem “merecedoras” dessa “cura”. Só relembrando que o contexto da narrativa se baseia numa sociedade apocalíptica e que ruma à uma extinção. E nesse contexto de caos, acabam surgindo aliados (e retorno de personagens) que serão importantes durante a conclusão dessa empreitada. Ou seja, muitas surpresas e emoções fortes acontecerão.

Maze Runner: A Cura Mortal, tem sua estreia para o dia 25 de janeiro de 2018 e quem assina a direção é Wess Ball, diretor das produções anteriores da saga (Correr ou Morrer e Prova de Fogo) e o roteiro é de T.S. Nowlin. No elenco ainda contamos com Thomas Brodie-Sangster, Giancarlo Esposito, Aidan Gillen, Barry Pepper, Will Poulter e Patricia Clarkson. Confira o trailer abaixo: