No último dia 17, a Netflix disponibilizou a primeira temporada da série “Punho de Ferro”, o último defensor que se juntará junto à Jessica Jones, Luke Cage e Matt Murdock (Demolidor) em uma nova série intitulada “Os Defensores”.

Destacamos aqui alguns pontos da série:

  •  Não houve uma fidelidade na história do Punho de Ferro dos quadrinhos para série e isso gerou grandes buracos na trama. O principal erro é a adaptação de K’un-lun, uma das sete cidades celestiais dos quadrinhos que é descrita, basicamente, como um mero monastério na série. O principal diferencial do Punho de Ferro para os demais heróis do universo Marvel, é o “misticismo” e a ideia de um local “sagrado” no oriente. Na série, K’un-lun possui apenas algumas breves menções e acaba sendo desvalorizada e não possui traços orientais realmente marcantes.
  • K’un-lun deveria ter contribuído para ensiná-lo valores sobre a vida e a morte, gerando grandes experiências, ainda que em busca de vingança. Como consequência final disso, temos um herói que é movido pelos sentimentos e não pelo conhecimento, deixando o personagem infantil e movido por causas infantis.
  • A produção deixou muito a desejar, principalemente nos primeiros episódios da série. Temos como resultado uma edição forçada e movida por uma direção irregular.
  • A maioria das lutas são mal coreografadas, superficiais e forçadas. Faltou naturalidade tal como víamos na série do Demolidor.
  • Colleen (Par romântico do herói na série), originalmente não tem interesse amoroso em Danny, nem se quer foi do tentáculo e nem orfã.
  • Originalmente, o Tentáculo não é inimigo declarado do Punho de Ferro e só tem participação na trama durante os crossovers com o Demolidor. 
  • Por falar em vilão, outro ponto que faz falta é ausência de um vilão definido na trama. Se inicia com os irmãos Meachum, segue com Harold Meachum, passa para Madame Gao e se expande para o Tentáculo. A madame Gao é claramente a que mais chegou perto de ser uma vilã realmente à altura mas foi prejudicada devido à “falta de espaço e conteúdo” para crescimento na série. Os irmãos Joy e Ward iniciam a série “apagados”, mas “ganham cor” ao longo da série mas não suficientemente para serem considerados grandes antagonistas. Harol parececia ser promissor na série mas também sofreu por não poder “crescer” ao longo da trama.

Apesar de todos pontos negativos da série, ainda assim “Punho de Ferro” vale muito à pena ser assistida. A conexão com tramas anteriormente desenvolvidas em Demolidor e Jessica Jones são interessantes e a presença de Claire Temple e Jeryn Hogarth realmente chamam atenção apesar de serem escritas de forma contraditória às participações anteriores das personagens.

A série desenvolve (mas não muito) toda a história contada nas séries anteriores (principalmente em Demolidor e Jessica Jones) além de que o desfecho da série é realmente promissor e gera grandes expectativas para a série de “Os Defensores” mas nos dá a ideia que será a continuação direta de Punho de Ferro, sendo tudo o que a série poderia ter sido e não conseguiu.

Confira abaixo o trailer da série

Texto por: Allisson Cavalcanti