Editor's Rating

9.8

Caro leitor,

Me sinto na obrigação de alertar que a resenha a seguir possui um conteúdo extremamente desagradável e que evidencia aspectos da lastimável vida dos órfãos Baudelaire. Será totalmente compreensível caso queira trocar esse texto por uma leitura mais alegre e divertida. Quem sabe uma história com criaturinhas amarelas e engraçadas? Ou talvez história com princesas e príncipes? Mas, se resolver continuar a ler, não diga que eu não avisei. É melhor não olhar.

Desventuras em Série conta a história dos três desafortunados órfãos logo após perderem os pais em um incêndio. Violet, a mais velha, é uma grande inventora. Klaus, o irmão do meio, é um grande leitor. Sunny, a caçula, tem dentes capazes de perfurar até os objetos mais duros. Originalmente, a história foi escrita pelo infeliz Lemony Snicket. EM 13 livros, Snicket descreve a desgraça que foi a trajetória dos órfãos em busca de um lar.

Divulgação Netflix

O primeiro fato a se analisar é o roteiro. É impossível não fazer um paralelo com a desagradável e lastimável  história contida nos livros. Sem sombras de duvidas é a série mais fiel à obra original que podemos ver até agora. Honestamente, não é visto algo assim desde o segundo filme da franquia Jogos Vorazes – Em Chamas. Os fãs dos livros devem ter ficado muito feliz com isso, mas não é uma grande surpresa, afinal Lemony Snicket, o autor, é o roteirista da série.

Se uma lição devemos tirar da série é que não há limites, tudo é possível. E no momento em que você acreditar que tudo vai ficar bem, tudo desmorona (em alguns casos literalmente). Uma das maiores preocupações seria Daniel Handler, o alter ego do autor, que em todo momento conversa com o leitor. No entanto,  Patrick Warburton mostrou que tinha tudo em suas mãos. Com uma narrativa envolvente, ele nos avisa constantemente das desventuras que se seguirão, além de oferecer frases incríveis e opiniões relevantes.

 

Divulgação Netflix

Além de possuir uma história fantástica é importante salientar que do ponto de vista técnico, naquilo que diz respeito ao design de produção, o figurino, maquiagem e cenários, a série é extraordinária. Além de contar com James Newton Howard na trilha sonora e um renomado fotografo francês, Bernard Couture.

Porém, nem tudo são maravilhas. A série carece de certa forma de um ritmo. É bastante inconstante. O padrão americano de 40 minutos por episódio não é seguido e inevitavelmente o espectador irá sentir muito com o episódio de 64 minutos, por exemplo.

Portanto, Desventuras em série, merece de fato toda a gloria que tem tido nas redes sociais. Barry Sonnenfeld, produtor e diretor, fez um ótimo trabalho.

E aí, o que estão achando da série?