Editor's Rating

8.7

“Meu nome é Mary Iris Malone, e eu não estou nada bem” 

 

Mary Malone, uma jovem de 16 anos, que se vê diante de um divórcio inesperado de seus paissofre com essa mudança e acaba sendo medicada contra sua vontade. Cria, então, uma rotina de trocar cartas semanais com sua mãe, mas acaba tendo essa rotina quebrada e a possibilidade de sua mãe estar doente a assombra. Decide, então embarcar numa viagem, ou até mesmo uma fuga, em busca de sua mãe.

Ao tentar viajar de ônibus para bem longe da cidade em que mora, carinhosamente apelidada de Mosquitolândia, ela descobre mais sobre o divórcio, sobre sua infância e se vê diante de situações complicadas e, aparentemente, sem saída. Em sua jornada, conhece as mais variadas pessoas do norte dos Estados Unidos e passa por situações de sufoco em que precisa reavaliar seus conceitos de lealdade e aprender a escutar seus instintos ao lutar com seus próprios demônios.  

“Você já teve a sensação de ter perdido algo importante, só para descobrir que a coisa nunca existiu para começo de conversa?” (g 265) 

Mosquitolândia é a primeira obra de David Arnold, lançado em julho de 2015. É, definitivamente, uma ótima escolha para quem busca uma leitura intensa e cheia de surpresas, podendo ser chamada de buscde ordem no meio do caos. Embora seja uma escrita que flui facilmente, é fácil de ser mal interpretada. É uma leitura que exige muito dos sentimentos do leitor, seja para empatia às situações que Mary atravessa ou para compreender algumas atitudes tomadas ao longo do livro.      

Mas, ao buscar uma obra que reúna sentimentos cotidianos, dúvidas, amores, erros e aprendizados, Mosquitolândia é o livro ideal