Editor's Rating

7
Nota

“-Tenho confiança suficiente na minha masculinidade e na minha sexualidade para dizer que Ryan Gosling está simplesmente um sonho nesse filme.”

Um recomeço. Isso foi tudo o que Avery sempre quis, poder sair de sua cidade, fugir de sua família e de todos aqueles que conheciam seu passado e a atormentavam. Uma faculdade longe de tudo e de todos foi sua melhor opção.

Tudo o que Avery Morgansten esperava dessa nova vida era paz, mas percebe que isso está longe de acontecer quando já no seu primeiro dia de aula ela esbarra com o maior problema que poderia achar, Cameron Hamilton, ou Cam, para os intimos. Além de ter que vê-lo em todas as quartas-feiras, ela percebe que o famoso galinha do colégio também é seu vizinho festeiro, e tudo só piora quando Cam decide que irá conquistá-la, mesmo que para isso precise receber um não por alguns meses.

Com um passado trágico e um futuro incerto, Avery tem medo de se arriscar num primeiro amor, e quando recebe a notícia de que seu passado foi desenterrado com um acontecimento marcante ela percebe que talvez esteja na hora de voltar e enfrentar seus pais, para poder finalmente dar uma chance a si mesma.

“- Se não sair em cinco minutos, vou arrombar atirando para todo lado.

 – Você não tem uma arma.

 – Ele não sabe disso.”

Espero Por Você é um drama divertido e ao mesmo tempo muito consciente. Não posso contar quantas risadas soltei com a insistência de Cam ou até a defesa de Avery, cada personagem conseguiu ser mais divertido que o outro, em sua própria essência.

A leitura flui de um jeito rápido, apesar de suas pouco mais de 300 páginas, é difícil largar a história depois que você começa a ler os primeiros capítulos. Tendo por trás uma temática surpreendente, o leitor morre de vontade de entrar na história e dar suas próprias dicas aos personagens.

Confesso que comecei a ler o livro sem certa expectativa, e no final conclui que recomendarei a quem puder, vale a pena conhecer essa história

“- Se tocar meus pés, você morre.

– Ela está falando sério. – Cam me cutucou. – Uma vez, eu toquei em seu mindinho e quase perdi um dedo.”