Editor's Rating

O final chega à ser um tanto quanto forçado, há alguns pequenos furos na trama mas as aventuras de Harry, Rony e Hermione e a relação entre eles ressalvam a qualidade do livro e o porquê de ser um sucesso tão imenso. Outro destaque são as revelações feitas por Snape que influenciam todo o decorrer da trama.

9.0
10

Em comemoração aos 20 anos de lançamento de Harry Potter e a pedra filosofal, a Sétima Cabine preparou uma semana especial onde postaremos todo dia uma resenha de um livro de Harry Potter para aqueles que ainda não conhecem a saga terem a oportunidade de conhecer um pouco mais ou até mesmo se motivar para começar a ler e também para aqueles que já leram e querem relembrar um pouco dela. Caso queria saber um pouco mais sobre o especial, não deixe de conferir o post de introdução do especial de 20 anos da saga Harry Potter na Sétima Cabine.

A resenha do sétimo livro demorou um pouco mais para sair do que as demais devido ao grande empenho de toda a equipe, que fez a cobertura da San Diego Comic Con e da Super-con Recife não só no nosso site mas também nas nossas redes sociais. Isso gerou um pequeno atraso quanto à publicação desta resenha, que acabou ficando guardada para o aniversário da escritora J.K. Rowling e o ator Daniel Radcliffe, que hoje (31/07/2017) estão de parabéns e comemoram mais um ano de vida.

Livro: Harry Potter e as relíquias da morte
Título Original: Harry Potter and the deathly hallows
Autora: J. K. Rowling
Editora: Rocco
Ano: 2007
Páginas: 552

HARRY POTTER E AS RELÍQUIAS DA MORTE

Quebrando o costume dos livros anteriores, o começo não é com Harry voltando para Hogwarts, escola de magia.. Harry está acompanhado de outros bruxos que tentam protegê-lo pois Harry deve fugir de Voldemort antes que ele o encontre. Em Harry Potter e as Relíquias da Morte, Harry está com 17 anos e, consequentemente, no início da sua fase adulta.

Harry está tentando ganhar tempo e por isso está fugindo do lorde das trevas, Voldemort, durante sua busca pelas horcruxes restantes, o que acredita ser o melhor caminho para derrotá-lo. Harry, Rony e Hermione estão sozinhos atrás destas horcruxes e seguem as poucas pistas deixadas por Dumbledore. Ao decorrer da aventura, vemos os três personagens percorrendo lugares nunca antes visitados e descobertas nunca antes reveladas sobre importantes personagens da saga.

Vencer o lorde das trevas parece não ser o único desafio que Harry terá que enfrentar. Harry terá que aprender a superar seus sentimentos, traições e fortalecer suas amizades. O grande diferencial de toda a saga é que não é uma saga que conta apenas uma aventura mágica ou uma guerra entre bruxos, mas sim uma grande conexão entre os personagens, narradas de uma forma extremamente sentimentalista.

O final da saga é surpreendente mas furos no roteiro são claros. A forma no qual Harry encontra para vencer Voldemort é contraditória à algumas passagens anteriores tanto do sétimo livro quanto a dos livros anteriores e isso torna o final um tanto quanto forçado além dos casais que, ao que parece, não fez grande sucesso entre os fãs da saga. Apesar de tudo isso, o livro é muito bom. As batalhas, apesar de curtas, são boas mas o grande destaque vai para as revelações de Snape e para a relação do trio Harry, Rony e Hermione.