Westworld, o novo sucesso Sci-Fi (baseado no filme de 1973, de mesmo nome) da HBO, aborda muitos temas de ficção científica – como nossa corrente obsessão com a tecnologia, os mais sombrios e selvagens cantos da psique humana, a ideia de que a inteligência artificial será mais esperta que seus criadores, futuros distópicos, e nos forçar a questionar o que é real.

Contudo, Westworld tem uma abordagem completamente diferente para esses temas comuns de ficção científica do que temos visto antes. Com uma narrativa excelente, elenco impressionante e níveis elevados de mistério surpreendente, a série tem absorvido totalmente os espectadores com seus mitos fascinantes. Comparado com o filme original, a série recebeu o tratamento tradicional HBO, trazendo mais sexo, violência, e completo choque e temor dentro de uma narrativa atualizada.

Os criadores Lisa Joy e Jonathan Nolan são bem conhecidos por sua habilidade para narrativa não-tradicional e não-linear, que se torna uma abordagem muito diferente de Michael Crichton.

Crichton (Jurassic Park) escreveu e dirigiu o filme original Westworld em 1973. Ele foi ambientado no futuro próximo de 1983. Embora a série da HBO seja baseada no filme, os dois são muito diferentes quando comparados. O tema principal é semelhante, mas a história tem evoluído ao longo dos últimos 40 anos.

Essas diferenças podem ser observadas até nas sinopses de cada uma das obras. Vejamos:

  • Westworld (1973)

Westworld é um parque temático futurístico onde visitantes pagantes podem fingir ser pistoleiros num oeste artificial selvagem popularizado por androides. Depois de pagar uma taxa de entrada considerável, Blane (James Brolin) e Martin (Richard Benjamin) estão determinados a descontrair, atingindo os salões e disparando suas armas. Mas quando o sistema falha e Blane é morto em um duelo por um robô pistoleiro (Yul Brynner), a fantasia escapista de Martin assume de repente uma triste realidade.

  • Westworld (2016)

Série de drama com uma hora em cada episódio, Westworld é uma odisseia obscura sobre a aurora da consciência artificial e a evolução do pecado. Situado na intersecção de um futuro próximo e de um passado reinventado, ele explora um mundo em que cada apetite humano, não importa quão nobre ou depravado, pode ser concedido.

Pensando nisso, separamos 5 diferenças entre o filme de 1983 e a série da HBO. Confira:

1. Mais Parques Temáticos

O filme original apresentou três parques temáticos diferentes, incluindo West World (Velho Oeste) para convidados visitarem por um baixo preço de $1,000 por dia.

Em Roman World (Roma Antiga) na cidade de Pompéia os hóspedes poderiam entrar em atividades e prazeres fiel ao antigo império governante, como casas de banho, banquetes decadentes, fantasia, piscina ao ar livre e, é claro, ser esperado por homens e mulheres maravilhosos. Em Medieval World (Idade Média) os hóspedes poderiam participar de combates, se tornar um cavaleiro ou um lorde, se casar com uma princesa, levar uma doméstica do castelo pra cama, devorar uma perna de peru no bufê, e lutar com espadas nos castelos durante a Idade média da Europa.

Até agora, a série da HBO só apresentou um parque temático, o American West Wild (Oeste americano Selvagem). Alguns estão especulando que a nova narrativa e projeto de construção de Ford é a adição de outro mundo, mas o designer de produção Zack Grobler disse o contrário: “Na primeira temporada, só exploramos o West World, há conversas sobre se em temporadas futuras teremos mais parques e que eles serão em mundos diferentes. Mas não temos certeza do que será ainda.”

Mas, quando Elsie entrou no  teatro no setor desligado 3 para investigar a estação de transmissão oculta, sua lanterna passou por uma prateleira particular onde vimos um terno de armadura e uma escultura romana. Embora esses easter eggs podem apenas ser acenos ao filme original, eles também podem ser dicas de futuras temporadas.

2. Não há criador humano

Esta é a principal diferença entre o filme original e a nova série, no entanto, pode ser devido à década de 1970 não ter tecnologia avançada como a que temos hoje.

Tanto quanto podemos dizer, não há nenhum Dr. Robert Ford, o fundador e diretor criativo da Westworld, no filme. Em vez disso, há apenas um monte de cientistas de brancos em laboratórios escondidos em uma sala dos fundos em algum lugar. No filme, esses cientistas bastante confusos não criam as “máquinas”. Em vez disso, os computadores são responsáveis por fazer os androides do parque, deixando o cientista principal sem a menor ideia de como eles são construídos.

“Muitos deles são feitos por computadores, não temos a menor ideia do que eles são capazes.”

Westworld

Na série da HBO, DR. Robert Ford e seu misterioso sócio Arnold criaram os anfitriões de forma divina em cada detalhe. Ford está ciente da complexidade de cada anfitrião. Basicamente pode-se dizer que ele os conhece de dentro para fora, o que lhe dá o controle completo de suas ações, narrativas, e programação total. Os anfitriões são muito mais humanos e complexos na série, o que permite que o enredo atual dos anfitriões comece a ganhar consciência própria o que os liberta do controle do DR. Ford. No filme, os cientistas não tinham ideia do que as “maquinas” eram capazes em primeiro lugar, porque eles não os criaram. Isto joga todo esse tema de “jogo divino” porta afora.

3. O homem de preto não é o pistoleiro original

Estes dois homens parecem retratar o mesmo caráter mas são muito diferentes um do outro.

Sim, os dois usam preto. Na esquerda, nós temos o popular homem de preto (Interpretado por Ed Herris) da série Westworld HBO e na direita temos o pistoleiro (Interpretado por Yul Brynner) do filme original Westworld.

Westworld

No início pensamos que o Homem de Preto seria uma versão atualizada do pistoleiro, mas Teddy Sears (interpretado por James Marsden) é o novo pistoleiro de Westworld.

O filme original centrou-se em torno das ações do pistoleiro, que era um robô que foi um assassino em série, depois foi baleado por um dos visitantes do parque. Quando o sistema falha, o pistoleiro é capaz de matar Blane (Josh Brolin) em um duelo, tornando-o o primeiro robô a matar um convidado humano.

O homem de preto é inteiramente diferente. Pelo que sabemos ele é um homem rico e fundador de propriedades fora do parque. Dentro do parque ele é um homem violento entre os anfitriões que está em uma árdua missão para encontrar o último nível do “jogo” – o misterioso labirinto.

Ford e o resto dos empregados do parque estão cientes das ações dele, mas eles não fazem nada a respeito pois ele é um visitante de longa data. No episódio 6, o homem de preto contrata Teddy (o novo pistoleiro) para ajudá-lo a encontrar um anfitrião chamado Wyatt, que é a chave para a próximo parte do labirinto. A HBO incluiu um pequeno e divertido aceno com o filme original, ao colocar o pistoleiro de Yul Brynner no velho e fechado porão do escritório da Delos.

4. Ponto De Vista

Westworld da HBO é bastante inventiva, porque na maior parte conta a história através dos olhos dos anfitriões. Ele leva os espectadores profundamente dentro de suas mentes, pensamentos e sentimentos, tornando-os muito mais humanizados do que as “máquinas” do filme.

A série realmente retrata a maioria dos personagens humanos como selvagens, com desejos escuros e perigosos, enquanto os anfitriões são seres inocentes e semelhantes a crianças que estão apenas começando a ganhar sua própria consciência. Isso, naturalmente, permite ao público, desenvolver um sentimento de empatia para os anfitriões.

É quase impossível olhar para as líderes femininas, Dolores Abernathy (Evan Rachael Wood) e Maeve Millay (Thandie Newton) como “apenas robôs”. Para nós, elas são exatamente como humanas, exceto quando elas são desligadas por funcionários do parque e têm um movimento ou expressão robótica ocasional.

O filme Westworld não se concentrou tanto ou em todos os anfitriões. Na verdade, os humanos no filme simplesmente se referiam a eles como “máquinas” como uma máquina de café ou uma impressora. O enredo muito mais simplista foi dito do ponto de vista dos visitantes e cientistas, dando-nos zero compreensão da mente dos robôs, o que nos permitiu sentir mais empatia para com os seres humanos quando os robôs atacavam.

5. Mulheres Líderes 

No filme de Westworld havia apenas uma mulher visitante que estava retornando de um período agradável em Roman World. No entanto, não havia mais mulheres humanas no filme, nem mesmo nos escritórios de Delos, nos bastidores dos três parques temáticos. Além disso, não havia convidados femininos mostrados nos parques reais, o que significa que os visitantes poderiam naturalmente assumir que toda mulher é uma “máquina”.

Mesmo durante a cena do bordel, os convidados referem-se às mulheres como, “apenas máquinas”e isso não é apenas uma besteira. As únicas mulheres no filme foram colocadas lá só para agradar os desejos sexuais dos convidados.

A Westworld da HBO deu aos telespectadores profundos personagens femininos, humanos e anfitriões. As mais altas empregadas de Delos também são mulheres ao lado dos homens, como Theresa que foi enviada para supervisionar todas as operações do parque, e Elsie a especialista principal de comportamento.

Westworld

Todos os personagens masculinos e femininos na série são fortes, complexos e profundamente desenvolvidos.

Agora, obviamente os criadores Joy e Nolan têm muito mais tempo para contar a história do que em uma hora e meia de filme, o que significa que a falta de desenvolvimento dos personagens no filme original é mais provável devido ao tempo.

 

E você? Encontrou mais alguma diferença? Comenta aqui pra gente! Vamos adorar poder aumentar essa lista.

Texto escrito com a colaboração de Ed Viegas.